Piratas atacam petroleiro no Golfo de Áden, diz Otan

Força holandesa resgata o navio e 20 pescadores que eram usados como reféns; piratas são soltos

Associated Press,

18 de abril de 2009 | 08h05

Um porta-voz da Otan informa que piratas atacaram um navio petroleiro no Golfo de Áden, entre a Somália e o Iêmen, na entrada no Mar Vermelho. Forças da aliança militar detiveram sete somalis que estavam por trá sdo ataque e libertaram 20 pescadores iemenitas que eram mantidos como reféns.

 

Capitão dos EUA chega ao Quênia; Seul envia navio contra piratas

 

O porta-voz da Otan, tenente-capitão Alexandre Santos Fernandes, disse que o petroleiro,. de bandeira das Ilhas Marshall, emitiu um pedido de socorro na madrugada deste sábado, depois que os piratas atacaram com armas de fogo e lançadores de foguetes.

 

Ele disse que um navio de guerra holandês da força da Otan viu os piratas fugirem ma direção da traineira iemenita. Tropas da aliança abordaram a traineira, detiveram os piratas e libertaram os pescadores, que eram mantidos reféns desde domingo passado.

 

Os piratas foram libertados, segundo ele, porque a lei holandesa não permitiria que fossem mantidos prisioneiros no mar, dadas as condições  da captura.

Tudo o que sabemos sobre:
piratariasomáliaiêmenholandaotan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.