Piratas querem US$ 15 mi por navio saudita, diz líder islâmico

Na semana passada, milícia radical ameaçou os piratas por eles terem seqüestrado um navio muçulmano

24 de novembro de 2008 | 09h46

Os piratas somalis que detêm um megaapetroleiro seqüestrado na costa do país reduziram seu pedido de resgate de US$ 25 milhões para US$ 15 milhões nesta segunda-feira, 24. A informação foi dada por um líder radical islâmico. Veja também: Donos de petroleiros defendem bloqueio contra piratas Mapa de todos os ataques reportados Pirata da Somália se diz herói e detalha operações no ÍndicoSegundo Abdirahim Isse Adow, da União das Cortes Islâmicas (UCI) - grupo radical islâmico que age na Somália - o pedido de resgate diminuiu. "Agora eles querem US$ 15 milhões", disse.Moradores de Haradheere, local para onde os piratas levaram o petroleiro, dizem que o navio foi levado para alto-mar depois que os radicais ameaçaram atacá-los. Na semana passada, o UCI ameaçou os piratas por eles terem seqüestrado um navio islâmico.

Tudo o que sabemos sobre:
pirataspetroleiroSomália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.