Piratas somalis anunciam liberação de superpetroleiro

Piratas somalis afirmaram hoje que um superpetroleiro saudita foi liberado, após quase dois meses capturado. De propriedade da gigante estatal Saudi Aramco, o Sirius Star, de 330 metros, foi capturada na costa da África em 15 de novembro. Levava uma carga de 2 milhões de barris de petróleo, no mais ousado ataques dos piratas nos últimos anos."Todo nosso pessoal agora deixou o Sirius Star. O navio está livre, a tripulação está livre", afirmou Mohamed Said, um dos líderes do grupo, à agência France Presse. "Houve problemas de último minuto, mas agora tudo está finalizado."Outro pirata, Sahafi Abdi Aden, também garantiu que o sequestro foi encerrado. Ele disse que não pode entrar em detalhes do "acordo", mas apenas dizer que o navio está livre. Ele ressaltou que ninguém se feriu durante o sequestro.Os piratas chegaram a pedir US$ 25 milhões pelo Sirius Star, mas as últimas notícias indicavam valores em torno de US$ 3,5 milhões. O valor do resgate pago não foi divulgado. A tripulação do navio tinha 25 pessoas, nascidas na Grã-Bretanha, Croácia, Arábia Saudita, Filipinas e Polônia.Os piratas operando na costa somali, no Golfo do Áden e no Oceano Índico realizaram mais de 130 ataques em 2008, tornando essas águas as mais perigosas do mundo. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.