Piratas somalis libertam navio grego com 21 tripulantes a bordo

Embarcação estava em poder dos criminosos há mais de um mês; empresa não informou se pagou pelo resgate

Associated Press,

18 de dezembro de 2009 | 12h10

Piratas somalis libertaram nesta sexta-feira, 18, uma navio grego em seus 21 tripulantes após mais de um mês de sequestro, anunciaram o governo filipino e a empresa dona da embarcação.

 

O Departamento de Assuntos Estrangeiros das Filipinas afirmou por meio de comunicado que sua embaixada em Nairóbi, no Quênia, informou que o MV Delvina se dirigia a Mombasa com sua tripulação, que estava em segurança e sem feridos.

 

Segundo o porta-voz da entidade, Ed Malaya, o barco, capturado em 5 de novembro, foi libertado por volta das 2 horas da manhã no horário local. "Toda a tripulação não sofreu nada e está bem, apesar do suplício de 43 dias", informou por comunicado a Meadway Shipping & Trading Inc., empresa detentora do navio.

 

A empresa não deu mais detalhes sobre a soltura do navio, nem se algum valor foi pago aos piratas. Apenas informou que não queria prejudicar a segurança de outros navios e tripulantes sob custódia de criminosos.

 

O governo das Filipinas disse que 53 marinheiros filipinos ainda estão em quatro navios capturados. Mais de 340 outros tripulantes foram libertados de 2006. Os filipinos representam quase 30% dos cerca de 1,2 milhão de mercantes.

 

"Como fornecedoras de cerca de um terço dos marinheiros para o comércio marítimo mundial, as Filipinas são diretamente afetadas pelas atividades piratas", disse o comunicado.

Tudo o que sabemos sobre:
piratariapiratasSomália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.