Piratas somalis querem US$ 15 mi por navio saudita

Piratas responsáveis pela captura de um navio saudita abarrotado de petróleo --maior sequestro naval da história-- querem um resgate de 15 milhões, disseram um líder islâmico e uma entidade marítima regional na segunda-feira. O Sirius Star foi capturado no dia 15, com uma carga de 100 milhões de dólares e 25 tripulantes (de Grã-Bretanha, Polônia, Croácia, Arábia Saudita e Filipinas). O caso é o ponto alto de uma onda de pirataria que vem assolando o nordeste da África, uma das principais rotas marítimas do planeta. Os piratas já conseguiram milhões de dólares em resgate, o que gera um aumento nos custos do transporte e do frete. Apesar das patrulhas militares de diversos países no oceano Índico, há cerca de 12 navios e 200 tripulantes em poder de piratas. Na semana passada, um graneleiro fretado pelo Irã foi capturado, o que levou o vice-ministro de Transportes do país a ameaçar o uso da força contra os piratas. "A opinião do Irã é de que tais questões devem ser confrontadas com firmeza", disse Ali Taheri ao jornal Ebtekar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.