Piratas somalis recebem resgate recorde por navio

Navio-tanque, que transportava 28 pessoas, foi sequestrado perto do arquipélago de Seychelles

Reuters,

17 de janeiro de 2010 | 17h56

O maior resgate já pago a piratas somalis foi entregue neste domingo por um navio-tanque de bandeira grega com dois milhões de barris de petróleo a bordo, disseram piratas e autoridades marítimas.

 

Uma aeronave deixou cair o resgate estimado entre 5,5 e 7 milhões de dólares para a libertação do navio-tanque, que foi sequestrado perto do arquipélago de Seychelles, no Oceano Índico, informaram as autoridades.

 

O Maran Centaurus foi capturado em 29 de novembro com nove gregos, dois ucranianos, um romeno e 16 filipinos a bordo, e o resgate faz parecerem pequenos os pagamentos anteriores a gangues somalis.

 

O navio-tanque ainda não foi libertado, já que disputas entre gangues rivais deixam os receptadores temerosos de retornar a Haradheere com sua recompensa.

 

"O problema agora é que os piratas no navio não serão capazes de voltar à terra, por causa das lutas internas. No momento há um impasse e ninguém pode prever como a libertação acontecerá", disse a Ecoterra International, um grupo sediado em Nairóbi que monitora as travessias na costa da Somália.

 

No início deste domingo piratas a bordo do navio e rivais em lanchas dispararam uns contra os outros pelo controle da embarcação antes do resgate ser entregue.

 

Piratas em um navio sequestrado próximo e moradores da costa disseram à Reuters que helicópteros de marinhas ocidentais patrulhando as águas na costa da Somália dispararam contras as lanchas, afastando-as da área antes do pagamento ser feito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.