Piratas somalis sequestram dois navios e mantêm 45 reféns

Embarcações britânica e panamenhas foram capturadas na noite da segunda-feira, segundo órgão marítimo

Associated Press e Efe,

29 de dezembro de 2009 | 10h12

Piratas somalis sequestraram um navio britânico com produtos químicos e um cargueiro panamenho na costa da Somália e mantém sob seu poder 45 marinheiros, segundo informou nesta terça-feira, 29, um funcionário do Centro de Informação da Pirataria, sediado em Kuala Lumpur, na Malásia

 

Os dois sequestros ocorreram na noite da segunda-feira. Segundo Noel Choong, fonte que revelou as informações sobre as capturas, a pirataria faz com que os proprietários dos barcos tenham que tomar medidas adicionais de precaução quando as embarcações navegam contornando a África.

 

Segundo Choon, o navio britânico St. James Park é o primeiro navio Merante a ser sequestrado no Golfo de Adén, onde uma força internacional marítima faz uma patrulha de segurança, em seis meses.

 

O St. James Park partiu de Tarragona, Espanha, e seguia para Tha Phut, na Tailândia. Seus 26 tripulantes são das Filipinas, Rússia, Geórgia, Romênia, Bulgária, Ucrânia, Polônia, Índia, Turquia.

 

Choong disse que três horas depois do sequestro do St James Park um navio cargueiro de bandeira panamenha, com 19 tripulantes, foi tomado por piratas na costa sul da Somália.

 

Também na segunda-feira, os piratas libertaram o navio Kota Wajar, de bandeira cingapuriana, informou a Força Naval da União Europeia. O cargueiro com 21 tripulantes havia sido sequestrado em meados de outubro no norte Oceano Índico, ao norte das ilhas Seychelles.

 

Segundo Choong, os últimos incidentes elevam o número de ataques piratas no Golfo de Áden e na costa da Somália para 214 neste ano. Desses, 47 embarcações foram sequestrados e 12 ainda estão nas mãos dos piratas.

Tudo o que sabemos sobre:
piratariapiratasSomália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.