Pirellone, um edifício símbolo de Milão

O edifício Pirelli, também chamado de Pirellone, foi construído entre 1956 e 1960. Obra do arquiteto Gio Ponti e de uma equipe de engenheiros, entre os quais Pierluigi Nervi, é um dos símbolos do boom econômico de Milão pós-guerra. Com seus 127,10 metros de altura, é o edifício mais alto da capital da Lombardia. A torre conta com 30 andares nos quais se encontra a sala do Conselho Regional da Lombardia e os escritórios de oito diretórios gerais.Sua inauguração foi no dia 4 de abril de 1960. Na época, o Centro Pirelli tinha uma população total de 2.000 pessoas, aproximadamente - 1.200 empregados da empresa, mais os funcionários dos escritórios e negócios alugados.Em 1978, o edifício foi vendido à Região da Lombardia. As negociações foram levadas adiante por Leopoldo Pirelli e Cesare Golfari, o então presidente da região. O edifício foi reestruturado com a supervisão do arquiteto Bob Noorda.Na torre trabalham, atualmente, 1.200 pessoas. Nos últimos anos, o Pirellone foi protagonista de algumas crônicas, não tão dramáticas como a de hoje. No dia 23 de março de 2000, o edifício foi evacuado por um princípio de incêndio. No dia 30 de julho de 1999, um austríaco de 30 anos lançou-se com o pára-quedas do teto da torre, e aterrissou sem problemas. Em 5 de maio de 1999, um histórico grupo lombardo de alpinistas e o então presidente do Conselho Regional, Giancarlo Morandi, desceram com a técnica da corda dupla, do 30º andar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.