Pistoleiros matam 15 durante assalto em Bagdá

Pistoleiros mascarados invadiram hoje um mercado de joias de ouro em Bagdá e mataram 15 pessoas antes de escapar com uma grande quantidade de mercadorias, disseram policiais e funcionários de hospitais. Segundo as autoridades, um dos agressores também morreu.

AE-AP, Agência Estado

25 Maio 2010 | 12h57

O ataque foi o mais recente de uma onda de crimes na capital do Iraque, que piorou no último ano, conforme diminui a violência sectária no país. A suspeita é a de que muitos dos envolvidos sejam ex-milicianos que estão desempregados.

Após os ataques, ocorridos no bairro de Baiyaa, no sudoeste da capital, um cadáver que a polícia e testemunhas disseram ser de um dos agressores estava coberto com um pano sobre a calçada. A área foi isolada pela polícia.

Mohamed Elaiui Nassir, dono de um escritório perto do local onde ocorreram os crimes, contou que os agressores estavam fortemente armados, e que a resposta das forças de segurança demorou. Cada um dos cinco ou seis veículos utilizados tinha três homens mascarados, alguns armados com lança-granadas e outros com metralhadoras e pistolas com silenciadores. "O ataque durou uns 15 minutos, durante os quais apenas um policial apareceu, mas foi baleado no ombro e em uma perna pelos agressores. Após 30 minutos, as forças de segurança chegaram", afirmou Nassir.

A polícia disse que os pistoleiros tinham o rosto coberto com tradicionais panos árabes. Primeiro, eles colocaram uma bomba perto das lojas, matando quatro pedestres e ferindo três, disseram funcionários da polícia. Em seguida, os homens abriram fogo contra 12 lojas, matando nove lojistas e seus empregados e dois pedestres.

Mais conteúdo sobre:
Iraque Bagdá pistoleiros assalto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.