Pistoleiros mortos pertenciam à Al-Qaeda

Os 13 pistoleiros mortos ontem em um tiroteio com soldados afegãos eram membros paquistaneses da rede terrorista Al-Qaeda, que haviam escapado poucas horas antes de um centro de detenção em Cabul, informou hoje a chancelaria afegã. Três dos fugitivos se suicidaram detonando granadas no momento em que os soldados se aproximaram deles, segundo o chanceler Abdullah. O comunicado do chanceler sobre o tiroteio - o pior ato de violência registrado na zona de Cabul em vários meses - pareceu esclarecer as versões iniciais divulgadas ontem, inclusive declarações do Exército afegão de que os pistoleiros "árabes e paquistaneses" haviam atacado uma posição do Exército na zona sul de Cabul. De acordo com Abdullah, dois soldados afegãos também morreram durante o conflito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.