Planalto recebeu enviado de Damasco

Vice-chanceler sírio esteve no País para 'prestar informações' sobre a onda de protestos

Lisandra Paraguassu e Roberto Simon, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2011 | 00h00

O vice-chanceler sírio, Fayssal Mekdad, esteve de passagem no Brasil nos dois últimos dias para "prestar informações" sobre a onda de protestos e a repressão em seu país. Enviado pelo presidente Bashar Assad, Mekdad foi recebido pelo secretário-geral do Itamaraty, Ruy Nogueira, e pelo assessor especial da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia. O vice-chanceler teria informado o Brasil sobre a intenção do governo Assad de implementar reformas. Ao mesmo tempo, tentou convencer o governo brasileiro de que a crise em seu país não é tão grave quanto parece. Mekdad não foi recebido pessoalmente pela presidente Dilma Rousseff.

Após dar um "relato extenso" sobre a crise na Síria, o enviado de Assad ouviu de Garcia que o Brasil "vê com satisfação" e "encoraja" as reformas anunciadas por Damasco, "sempre respeitando a soberania" do país árabe. Segundo o assessor de Dilma, o governo brasileiro "não é uma consultoria" e, portanto, não deve julgar publicamente se Assad tenta apenas ganhar tempo com as promessas de abertura - como acusa a oposição síria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.