Plano Colômbia já tem bastante dinheiro

O presidente colombiano, Andrés Pastrana, anunciou nesta quinta-feira à noite, num pronunciamento transmitido pela TV, a superação das metas de financiamento internacional do Plano Colômbia - o ambicioso e controvertido programa governamental destinado a erradicar os cultivos de coca e papoula e ampliar a repressão militar aos grupos de narcotráfico. "Nossa meta de US$ 3,5 bilhões como contribuição da comunidade internacional para o Plano Colômbia foi superada", disse Pastrana. "Esse balanço positivo é o resultado da diplomacia pela paz, na qual a comunidade internacional apóia de maneira concreta e contundente a visão integral de luta contra o narcotráfico que norteia o Plano Colômbia." Outros US$ 4 bilhões serão aportados ao programa pelo Estado colombiano nos próximos quatro anos. Nos últimos anos, Pastrana empreendeu sucessivas viagens aos EUA - que, sozinhos, contribuíram com US$ 1,33 bilhão -, Canadá e a vários países da Europa para angariar recursos para o plano. Os europeus têm reiterado que sua contribuição destina-se exclusivamente a programas sociais nas áreas onde há cultivos ilícitos e conflitos armados e tem como objetivo impulsionar o processo de paz com os grupos armados do país.A contribuição americana, em sua maior parte, destina-se ao esforço bélico contra os cartéis de drogas e às operações militares de pulverização das plantações ilegais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.