Plano da Al-Qaeda na Europa teria sido desarticulado

Agências de inteligência desarticularam um plano da Al-Qaeda para lançar ataques terroristas na Grã-Bretanha, na França e na Alemanha, informou a imprensa europeia nesta quarta-feira. Militantes sediados no Paquistão estavam planejando ataques simultâneos em Londres e em grandes cidades de França e Alemanha, segundo a emissora de TV britânica Sky News, citando fontes dos serviços de inteligência.

AE-AP, Agência Estado

29 de setembro de 2010 | 12h04

Trata-se de "um dos mais sérios planos de ataque da Al-Qaeda nos últimos anos", afirmou a BBC. De acordo com a rede britânica, o plano foi inspirado pela liderança do grupo, que vive refugiada em zonas tribais paquistanesas. Os Estados Unidos também eram um alvo potencial, e o presidente Barack Obama foi informado sobre a ameaça, informou a ABC News nos EUA, citando funcionários norte-americanos.

O planejamento para os ataques estava avançado, mas eles não eram iminentes. Ataques recentes com aviões não tripulados no Paquistão mataram vários líderes desse plano e atrapalharam a iniciativa, segundo a Sky. Bem armadas, equipes de extremistas planejavam tomar reféns ocidentais e assassiná-los. A intenção era fazer algo similar ao cerco ocorrido em dois hotéis indianos em Mumbai, em 2008. Na ocasião, dez homens armados mataram 166 pessoas e deixaram mais de 300 feridas, em três dias.

O plano tendo como alvo a Europa foi descoberto após uma troca de informações de inteligência entre agências desses países ameaçados. A cooperação levou à desarticulação dos ataques, segundo a Sky. Vários dos líderes da ação foram mortos no Paquistão, nos ataques com mísseis de aviões não tripulados, aparentemente lançados pelos EUA.

No Reino Unido, o alerta de ameaça nacional permaneceu como "sério", mesmo nível desde janeiro. Isso significa que um ataque terrorista é considerado bastante provável. A Alemanha informou que mantém seus alertas no mesmo patamar. No entanto, comunicado do Ministério do Interior da Alemanha afirmou que não há evidências de um plano "concreto" contra o país. A França também está em alerta para a possibilidade de um atentado, mas um funcionário disse no fim da terça-feira que essas advertências não têm relação com esses planos da Al-Qaeda.

Prisão

Em outra ação, a Espanha prendeu um cidadão dos Estados Unidos, de origem argelina, suspeito de ajudar a financiar uma filial da Al-Qaeda no norte da África. O Ministério do Interior em Madri identificou o suspeito como Mohamed Omar Debhi, de 43 anos. Segundo o ministério, Debhi foi preso em Esplugues de Llobregat, perto de Barcelona. A pasta informou que a suspeita é que ele tenha envolvimento em lavagem de dinheiro, que enviou para um auxiliar na Argélia, a fim de transferir o montante para células da Al-Qaeda no Magreb Islâmico. O auxiliar foi identificado como Toufik Mizi.

Procurado pela Espanha, Mizi conseguiu escapar de uma operação policial, em 2008. O ministério informou ainda que Debhi utilizou transferências bancárias e mensageiros para enviar mais de 60 mil euros (US$ 80 mil) a Mizi. Com informações da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.