AFP PHOTO / PRU
AFP PHOTO / PRU

Plano da primeira-ministra britânica para o Brexit sofre derrota no Parlamento

Câmara dos Lordes decidiu que Theresa May deve garantir os direitos dos cidadãos da UE no Reino Unido antes de iniciar as negociações para a saída do bloco; medida precisa ser aprovada pela Câmara dos Comuns

O Estado de S. Paulo

01 de março de 2017 | 17h54

LONDRES - A Câmara dos Lordes (câmara alta do Parlamento) do Reino Unido derrotou o governo da primeira-ministra Theresa May nesta quarta-feira, 1.° de março, votando a favor de uma mudança no seu plano da saída britânica da União Europeia determinando que ela só pode iniciar negociações do Brexit se prometer proteger os direitos dos cidadãos da UE que vivem no país.

A Câmara dos Lordes aprovou por 358 votos a 256 uma emenda ao 'projeto União Europeia' - uma legislação que dará a May o poder de desencadear o processo legal para deixar a UE.

A mudança exige que o governo publique propostas sobre como proteger os cidadãos da UE que vivem no Reino Unido - incluindo seus direitos de residência - no prazo de três meses da deflagração de negociações de saída. 

A mudança feita na câmara alta precisa ser aprovada na Câmara dos Comuns, que no mês passado havia chancelado a legislação sem exigir qualquer condição, por isso o processo do Brexit pode demorar mais um tempo, algo que desagrada a primeira-ministra britânica. 

"É uma desgraça que os Comuns tenham permitido até agora que o governo se safe com seu plano de usar cidadãos da UE injustamente como moeda de troca nas negociações iminentes do Brexit", disse Dick Newby, líder do Partido Liberal Democrata na Câmara dos Lordes. "Esta é uma emenda vital que pressionará os membros do Parlamento a terem bom senso e dar garantias aos milhões de cidadãos da UE vivendo no Reino Unido", acrescentou. /REUTERS

 

Tudo o que sabemos sobre:
BrexitReino UnidoTheresa May

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.