Plano de anistia na Nigéria teve adesão de 15 mil guerreiros

Presidente ofereceu perdão incondicional aos rebeldes que cessassem ataques à indústria petroleira no Delta

Reuters,

08 de outubro de 2009 | 13h40

Cerca de 15 mil insurgentes do Delta nigeriano entregaram as armas e aceitaram o perdão incondicional proposto pelo presidente Umaru Yar'Adua, informou nesta quinta-feira, 8, o vice-marechal Lucky Aralile, coordenador-chefe de anistia.

 

O oficial afirmou que 8.299 homens foram desarmados e registrados na terça-feira, mas o total não incluía o contingente dos líderes militantes Tompolo, Farah Dagogo e Ateke Tom, que se renderam no último fim de semana.

 

"Eventualmente nós vamos chegar à casa dos 14 ou 15 mil guerreiros que se renderam quando acabarmos a documentação. A maioria dos grupos que conhecíamos aceitou a anistia", disse Aralile a jornalistas na capital Abuja.

 

O Delta nigeriano abriga a maior indústria de gás e petróleo da África. O presidente ofereceu anistia incondicional aos rebeldes que cessassem os ataques à indústria petroleira na região.

Tudo o que sabemos sobre:
NigériaDelta nigerianoÁfricaanistia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.