Plano de Israel nega independência ao Estado palestino

Israel está definindo termos próprios para o futuro Estado palestino, e eliminou todas as referências à palavra ?independente? em seus comentários ao plano de paz apoiado pelos EUA e que pede um Estado na Palestina por volta de 2005, informa o jornal Haaretz.A lista de clarificações - que Israel pretende apresentar aos EUA - inclui comentários ao no chamado ?mapa para a paz?, um plano apoiado por EUA, União Européia, ONU e Rússia.Segundo o Haaretz, o documento israelense substitui todas as referências a um Estado palestino ?independente? por ?certos atributos de soberania?. O texto ainda afirma que tal Estado deverá ser ?credível? e ?obediente à lei?. Israel também se nega a remover os assentamentos e postos avançados ilegais e a desmantelar os enclaves judeus na Cisjordânia e Gaza durante o período de transição.Neste documento, Israel define termos restritos para prosseguir com o plano, dizendo que o progresso depende da ?interrupção completa da violência e do terrorismo, desarmamento total das organizações terroristas, seus recursos e infra-estruturas, o confisco completo das armas ilegais e a ascensão de uma liderança (palestina) nova e diferente?, segundo o jornal.Os palestinos já afirmaram, no entanto, que os EUA garantiram que o ?mapa para a paz? não sofreria alterações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.