Plano de Londres pode ser o "Big One" temido desde o 11 de Setembro

O plano vinha sendo preparado há meses, e seu objetivo era de uma matança quase inimaginável. Um após outro, aviões de passageiros teriam explodido no céu, enviando centenas de homens, mulheres e crianças à morte.Autoridades responsáveis pelo combate ao terror disseram nesta quinta-feira que o plano desbaratado em Londres parece ter as impressões digitais da Al-Qaeda, e pode inclusive ser o "Big One" temido desde o 11 de setembro de 2001, particularmente pela aproximação do aniversário de cinco anos desta carnificina."Em termos de escala, ele provavelmente pretendia ser... um novo 11 de Setembro", disse Jean-Charles Brisard, um investigador particular francês que trabalha com advogados de muitas vítimas do 11 de Setembro. "Envolvia as mesmas ferramentas, os mesmos equipamentos e dispositivos de transporte."Houve dezenas de planos desbaratados no mundo desde 2001, e vários foram criminosamente bem-sucedidos. Atentados suicidas mataram 52 pessoas em Londres em 7 de julho de 2005, 58 em dois ataques em Istambul, Turquia, em 2003, e 202 em Bali em 2002. Radicais islâmicos mataram 191 pessoas em Madri em 11 de março de 2004, e depois se explodiram dias mais tarde quando a polícia estava fechando o cerco sobre eles.O plano envolvendo aviões de passageiros tinha o potencial de ofuscar os ataques dos últimos anos - matando centenas, talvez milhares. Ele também parece ter demandado um planejamento e expertise mais amplos.Agentes antiterror vinham rastreando os alegados conspiradores há meses, e fizeram detenções em Londres e seus subúrbios, e também em Birmingham. Um oficial da policia britânica disse que os suspeitos pareciam terem sido criados no país, embora não ficasse imediatamente claro se todos eram cidadãos britânicos.Magnus Ranstrop, um especialista em terrorismo do Centro de Estudos sobre Ameaça Assimétrica sueco que fez extensas pesquisas sobre os esforços da Al-Qaeda para recrutar na Europa, disse que o plano frustrado na Grã-Bretanha "poderia ter sido perfeitamente uma tentativa de ´Big One´".Ele advertiu aos incrédulos para não duvidarem da gravidade da ameaça. "Isso foi realmente sério. A polícia não tem motivos para brincar de política. Acho que devemos levar muito a sério o que eles dizem", disse ele.Andrea Nativi, um pesquisador do Centro Militar de Estudos Estratégicos baseado em Roma, disse que o plano de Londres era parecido com o de 11 de setembro de 2001 em sua ambição, e completamente diferente de outras tramas terroristas dos últimos anos. "Em comparação, os ataques no metrô de Londres parecem brincadeira de criança", disse ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.