Plano de paz para a Irlanda do Norte sofre novo golpe

Um plano ambicioso para quebrar o impasse de um ano no processo de paz na Irlanda do Norte chegou muito perto do fracasso nesta terça-feira, quando lideranças protestantes rejeitaram a alegação da milícia católica IRA de que um processo de desarmamento estaria em curso - para os protestantes, a afirmação do IRA é muito ?vaga?.O governo britânico lançou um dia de tensas negociações diplomáticas ao confirmar que eleições para o Legislativo norte-irlandês - a base do acordo de paz firmado em 1998 - ocorrerão no dia 26 de novembro. O partido Sinn Fein, ligado ao IRA, elogiou a decisão, e o próprio IRA se apressou em levar inspetores de armas a um depósito secreto de armas desmateladas. Mas a esperança do surgimento de um governo compartilhado entre católicos e protestantes regrediu rapidamente qunado o líder do Partido Unionista do Ulster, David Trimble, rejeitou a iniciativa de desarmamento do IRA, considerando-a muito pouco transparente. Trimble exige uma lista das armas ?desativadas?, o método de destruição empregado e a promessa do IRA de desarmar-se por completo. Os primeiros-ministros britânico e irlandês, Tony Blair e Bertie Ahern, reconheceram que a posição dos Unionistas representa um revés grave, mas os dois líderes disseram que ainda tentarão superar a dificuldade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.