Plano dos EUA para base militar divide governo do Japão

O governo japonês precisa chegar a uma conclusão em breve sobre o plano dos Estados Unidos de reorganizar suas bases militares, disse hoje o ministro das Relações Exteriores do Japão, Katsuya Okada. Por sua vez, o primeiro-ministro Yukio Hatoyama quer que o governo analise a questão por mais tempo.

AE, Agencia Estado

15 Novembro 2009 | 11h51

"Temos que chegar à uma conclusão enquanto gabinete...não podemos atrasar tanto," disse Okada durante uma visita ao sul da ilha de Okinawa. A base americana em Okinawa, que abriga metade das 47.000 tropas dos EUA no Japão, vem provocando protestos da comunidade local há muito tempo.

O primeiro-ministro Yukio Hatoyama tomou posse em setembro e causou preocupação em Washington ao dizer que pretende rever o acordo de 2006, que prevê o fechamento de uma base em Okinawa e a construção de uma base substituta numa parte menos populosa da ilha. Hatoyama quer que o Japão tire a base da ilha, e possivelmente do país, para facilitar a vida dos residentes locais descontentes.

Ontem, o primeiro ministro disse a repórteres que não prometeu ao presidente Obama numa reunião na sexta-feira que teria uma conclusão sobre a questão até o fim do ano, e acrescentou que não precisará rever o acordo se este for implementado de forma adequada.

O parlamentar oposicionista e ex-ministro da defesa, Shigeru Ushiba, acusou Hatoyama de infringir a confiança dos EUA. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Japão EUA bases

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.