Plano dos EUA para o Iraque exclui inspeções da ONU

Os EUA apresentarão amanhã ao Conselho de Segurança da ONU um projeto de resolução para levantar todas as sanções contra o Iraque, com exceção do embargo de armas. O projeto atribui à coalizão anglo-americana que invadiu o Iraque a tarefa de buscar as armas de destruição em massa supostamente desenvolvidas pelo regime de Saddam Hussein, afirmou o embaixador dos EUA na ONU, John Negroponte. Algumas das 16 resoluções anteriores do conselho sobre o Iraque davam a uma comissão da ONU a tarefa de atestar a destruição do arsenal proibido, antes da decisão de se levantar as sanções.O projeto, um documento de oito páginas que o Departamento de Estado fez circular hoje entre alguns representantes dos países membros do conselho, não condiciona o fim dos embargos a novas inspeções das Nações Unidas. Os representantes de França, Rússia, China e Alemanha - quatro dos mais destacados opositores da guerra no Iraque - receberam o documento. Os demais membros do Conselho de Segurança receberão uma cópia da proposta amanhã, antes da apresentação formal.Negroponte, que hoje mantinha intensos contatos com membros do conselho, disse que o governo de seu país não vê "nenhum papel para os inspetores de armas das Nações Unidas no Iraque, num futuro próximo".A proposta americana prevê ainda a criação de um "fundo de assistência iraquiano", no qual seriam depositados os lucros da indústria petrolífera do país e que financiará operações humanitárias e de reconstrução. O fundo teria um conselho consultivo que incluiria representantes da ONU, do FMI e do Banco Mundial. As decisões sobre como utilizar os recursos seriam tomadas pelos EUA e pela Grã-Bretanha, em consulta com a autoridade interina iraquiana, ainda a ser formada.Como forças de ocupação, americanos e britânicos teriam autoridade sobre o Iraque por 12 meses. Negroponte afirmou que os EUA esperam aprovar o projeto em duas semanas. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.