Plano dos EUA perde apoio no Iraque

A maioria dos membros do Conselho de Governo iraquiano já se dispõe a retirar o apoio ao plano da administração americana, de realizar reuniões de líderes regionais a fim de escolher um Parlamento provisório. O projeto tinha sido endossado pelo conselho, em novembro, como pedra angular do processo de desocupação do país. Mas foi posto em xeque pela insistência da maioria xiita em realizar eleições diretas para o Parlamento.Uma missão das Nações Unidas concluiu que não há condições técnicas para a realização de uma votação direta antes de junho - em apoio à posição de Washington.Segundo o jornal The Washington Post, o atual Conselho de Governo quer assumir a soberania do país até que haja condições para a realização das eleições. Um membro sunita do conselho, Samir Shaker Sumaidy, disse que o abandono do sistema de assembléias regionais e a transferência do poder para o atual conselho em 30 de junho "faz mais sentido agora".Os xiitas, por sua vez, reagiram com indignação à ameaça do administrador da ocupação americana, Paul Bremer, de vetar um projeto de Constituição baseado na lei islâmica. "O Islã é a fonte de toda lei e isso é normal em qualquer país muçulmano", disse em Kerbala um representante do aiatolá Ali al-Sistani.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.