Plano para evacuação de Homs, na Síria, está atrasado

O plano de evacuação de rebeldes na cidade de Homs, na Síria, está atrasado neste sábado, segundo ativistas, embora permaneça em vigor o cessar-fogo entre os insurgentes e as tropas do ditador Bashar al-Assad. Os rebeldes concordaram em ceder parte do território controlado por eles em troca de um salvo-conduto para deixar essas áreas.

AE, Agência Estado

03 Maio 2014 | 12h01

O cerco promovido pelas forças de Assad provocou a escassez de alimentos nas áreas dominadas pelos rebeldes em Homs, que têm sido bombardeadas constantemente nas últimas semanas. Segundo o ativista Samer al-Homsi e outras três fontes locais, não está claro porque o Exército não está permitindo ainda que a primeira leva com centenas de rebeldes deixe Homs.

Uma das hipóteses é que as negociações para permitir a entrada de alimentos em áreas bloqueadas esteja adiando a evacuação, assim como as tratativas para troca de prisioneiros em Aleppo e outras cidades no centro e norte do país.

Enquanto isso, a emissora estatal de televisão síria disse que foguetes disparados pelos rebeldes em áreas controladas pelo governo em Aleppo neste sábado deixaram pelo menos 12 mortos. Já os insurgentes afirmam que dois ataques com carros-bomba na província de Hama mataram 23 pessoas, incluindo 14 crianças.

O conflito civil na Síria dura quase três anos e já deixou mais de 150 mil mortos, segundo ativistas locais. Mais de 2,5 milhões de pessoas fugiram para países vizinhos em busca de segurança. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
SíriaconflitosHoms

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.