Plano Sharon estimula radicalismo palestino, alerta UE

A União Européia expressou preocupação com a possível reação de radicais islâmicos ao apoio do presidente dos EUA, George W. Bush, ao plano do premier israelense, Ariel Sharon, de não devolver aos palestinos as terras ocupadas por colônias de judeus na Cisjordânia. O plano ?não é o mais apropriado, se se pretende estimular uma posição moderada na comunidade palestina?, diz o comissário de relações exteriores da UE, Chris Patten.?É preocupante que muitos palestinos acreditem que suas aspirações por uma solução de dois Estados tenham sido eliminadas?, afirma o comissário. ?Há uma grande quantidade de pessoas no mundo árabe que pensa que, nesta semana, os EUA deram as costas a sua política de quase 40 anos? para a paz no Oriente Médio, disse Patten, referindo-se ao princípio de que Israel deveria recuar para as fronteiras anteriores à guerra de 1967, abandonando as colônias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.