Plantação de narcóticos perde peso na economia colombiana

A produção de coca, maconha e papoula está diminuindo sua participação no valor da economia colombiana, informou o Departamento Administrativo Nacional de Estatísticas (Dane). Enquanto que em 1999 as plantações ilícitas representavam 1,33% do total do PIB do país, em 2001 a proporção diminuiu para 1,16% - o equivalente a cerca de US$ 900 milhões,segundo um estudo do Dane divulgado na quinta-feira. Em 2001, as áreas cultivadas com coca tiveram uma redução de 11.000 hectares devido às fumigações feitas pelo governo colombiano. Essa medida explica a queda do valor daprodução de narcóticos nas contas nacionais. Desde 1994, o Dane incorporou às contas nacionais o valor estimado da produção de drogas."Não contabilizar esse dado poderia afetar a coerência das contas nacionais e sua qualidade", disse César Caballero, diretor do Dane, ao explicar a necessidade de incluir o valor da produção de drogas ilícitas nas estatísticas da produção global de bens e serviços.Acrescentou que o valor calculado não inclui a transformação e comercialização dos narcóticos - fases que dão lucros maiores para os narcotraficantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.