Chester Higgins Jr/NYT
Chester Higgins Jr/NYT

Poetisa Maya Angelou é primeira mulher negra em moeda americana

Moeda de 25 centavos é primeira de uma série de homenagens às mulheres americanas pioneiras

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2022 | 05h00

A escritora e poetisa Maya Angelou se tornou a primeira mulher negra a ter sua imagem retratada em uma moeda nos EUA, a primeira de uma série de homenagens às mulheres americanas pioneiras, anunciou nesta terça-feira, 11, a Casa da Moeda do país.

O livro de memórias de Angelou, Eu Sei Por Que O Pássaro Canta Na Gaiola, de 1969, documentou sua infância na época da segregação racial no Sul dos EUA e foi uma das primeiras autobiografias de uma mulher negra do século 20 a alcançar um amplo público leitor.

Angelou, que morreu em 2014, aos 86 anos, era “uma das luzes mais brilhantes do nosso tempo – uma escritora fantástica, uma amiga feroz e uma mulher verdadeiramente fenomenal”, disse Barack Obama, na época.

A moeda de 25 centavos com sua imagem – criada pela designer Emily Damstra e Craig Campbell, um artista de medalhas – mostra Angelou com os braços erguidos, na frente de um pássaro em voo e raios de sol saindo atrás. “As imagens foram inspiradas por sua poesia e simbólicas da maneira como ela vivia”, disse a Casa da Moeda. Entre as outras homenageadas deste ano está Sally Ride, a primeira mulher americana no espaço. /AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.