Polêmica sobre Lugo é 'lamentável', diz bispo da CNBB

O bispo auxiliar de São Paulo e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Pedro Luiz Stringhini, considerou lamentável o caso do ex-bispo e presidente do Paraguai, Fernando Lugo, sobre o qual pesam escândalos de paternidade. "Sem dúvida é lamentável, claro. Tudo aquilo que extrapola um comportamento que seja o normal, seja de uma pessoa casada, seja de um celibatário, claro que causa estranheza e por isso os jornais estão publicando. A igreja recebeu com surpresa a notícia. Esperamos que o povo paraguaio não seja prejudicado por um fato pessoal", afirmou d. Pedro Luiz.

TATIANA FÁVARO, Agencia Estado

24 de abril de 2009 | 18h25

Porém, ele disse que os 330 bispos reunidos na 47ª Assembleia Geral da CNBB em Itaici, no município de Indaiatuba, interior de São Paulo, não discutirão o assunto. "O caso em si não será colocado (na assembleia), mas quando se fala em formação presbiteral se fala em diversas dimensões: a intelectual, a espiritual, a pastoral e a humano-afetiva, a reflexão acerca do nosso posicionamento enquanto pessoas, afetividade, sexualidade, para que fatos como esse não aconteçam." O tema central da CNBB este ano são as novas diretrizes na formação presbiteral.

O presidente paraguaio assumiu a paternidade de Guillermo Fernando, de 2 anos de idade, e outras duas mulheres disseram também ter filhos com o mandatário paraguaio. Hoje, Lugo pediu perdão pelo escândalo provocado nas últimas semanas.

Tudo o que sabemos sobre:
ParaguaipaternidadeFernando LugoCNBB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.