Polícia abre fogo durante protesto na Índia e oito morrem

Atividade integra campanha comunista para a distribuição de terras do governo para os pobres

REUTERS

28 Julho 2007 | 11h48

A polícia matou a tiros pelo menos oito manifestantes no sul da Índia no sábado, 28. As mortes puseram fim a um protesto que exigia terras para os pobres.   Centenas de manifestantes queimaram móveis em um escritório do governo em uma pequena cidade do Estado de Andhra Pradesh. Em seguida a polícia abriu fogo.   Na localidade, dois partidos comunistas promovem uma campanha para a distribuir as terras do governo para os pobres da cidade e do campo. O protesto integrou a manifestação que durou dia.   "Os manifestantes atacaram o escritório do tesouro regional e destruíram bens, levando à reação da polícia", disse o superintendente da polícia, R. K. Meena. Os manifestantes também atearam fogo a um veículo.Entre os mortos estava uma mulher. Dez pessoas ficaram feridas no tiroteio. Alguns dos líderes da campanha estão fazendo greve de fome há seis dias.Imagens transmitidas pela televisão mostraram policiais e manifestantes, entre os quais muitas mulheres, batendo-se com grandes pedaços de paus e mastros de bandeiras. Vários manifestantes caíram no chão e foram agredidos pela polícia."A agitação dos manifestantes esquerdistas se tornou violenta com o incêndio de ônibus e ataques contra propriedades do governo em todo o Estado", disse o ministro de Assuntos Internos do Estado, K. Jana Reddy, a repórteres.As autoridades abriram processos contra líderes comunistas e prenderam milhares de ativistas de esquerda.

Mais conteúdo sobre:
MUNDOINDIAPROTESTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.