Polícia acha itens perigosos em carro perto de local da cúpula do G20 no Canadá

Homem foi preso; carro continha picaretas, galões de gasolina e uma motosserra.

BBC Brasil, BBC

24 de junho de 2010 | 18h38

A polícia de Toronto, no Canadá, apreendeu nesta quinta-feira o que descreveu como um carregamento de materiais perigosos em um carro perto do local onde, neste fim de semana, ocorre um encontro de cúpula do G20.

Entre os materiais apreendidos estão picaretas, uma motosserra, galões de gasolina, arco e flechas, uma marreta, tacos de beisebol entre outros objetos.

De acordo com o jornal Toronto Sun, um homem de 53 anos, cuja identidade não foi divulgada, foi preso. Os objetos foram encontrados quando o carro foi parado pela polícia em uma checagem de segurança.

O jornal afirmou ainda que a polícia informou que o suspeito também levava um grande pedaço de madeira compensada, que, segundo os policiais, poderia usar para escalar as cercas de segurança no local da reunião do G20.

"Não temos certeza se o motivo dele era o G20", disse ao Toronto Sun o sargento da polícia Hugh Smith.

Segunda prisão

Este foi a segunda apreensão de materiais perigosos antes da reunião de cúpula do G20 em Toronto nesta semana. Na quarta-feira um homem foi detido com explosivos na cidade em uma operação que, segundo a polícia, teve relação com a reunião.

Byron Sonne, de 37 anos, foi preso em uma casa distante alguns quilômetros do local da reunião do G20. A companheira de Sonne, Kristen Peterson, de 37 anos, também foi acusada.

A polícia canadense informou que a investigação sobre os dois era parte de um esforço para garantir "uma reunião de cúpula do G20 segura" neste final de semana.

A cúpula das 20 maiores economias do mundo ocorre no sábado e no domingo. Além da reunião do G20, Toronto também será sede de um encontro do G8, na sexta-feira e no sábado.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
g20canadátoronto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.