Polícia acha vídeos de suicidas ligados a ataques contra aviões

As forças policiais que investigam a tentativa de ataque terrorista a aviões que iam do Reino Unido para os EUA encontraram vídeos de suicidas em vários computadoresportáteis, informou nesta sexta-feira a emissora BBC.Segundo as fontes policiais consultadas pela emissora britânica, os vídeos, que mostram "mártires" apresentando suas motivações para realizarem os atentados suicidas, foram descobertos em computadores de alguns dos 23 suspeitos presos nas investigações da tentativa de ataque.Uma porta-voz da Polícia Metropolitana de Londres não quisconfirmar a notícia divulgada pela BBC. Na última quinta, fontes policiais também revelaram à emissora que a Polícia havia encontrado uma mala com material de fabricaçãode bombas, embora a Scotland Yard não tenha confirmado oficialmente a informação.Já a Associação de Chefes de Polícia (ACPO) diz que todas asforças policiais do Reino Unido participam da investigação do plano terrorista. Segundo a BBC, centenas de agentes estão envolvidos na operação, comandada pela Scotland Yard.Enquanto isto, os agentes continuam realizando buscas em uma área florestal do condado de Buckinghamshire, ao oeste de Londres, enquanto foram revistadas 13 propriedades.As forças policiais também inspecionaram vinte veículos.Atualmente, a Polícia interroga 23 pessoas - todas britânicas e a maior parte de origem paquistanesa -, que foram presas em várias operações realizadas na última semana em Londres, Birmingham e Buckinghamshire.A Scotland Yard relaciona estes suspeitos à tentativa de ataque terrorista contra os aviões que iriam do Reino Unido para os Estados Unidos.Além disso, várias pessoas foram presas na última semana noPaquistão, suspeitas de terem relação com o suposto planoTerrorista.Segundo a imprensa londrina, o governo britânico tramita emIslamabad um pedido de extradição para Rashid Rauf, de 25 anos e procedente de Birmingham, irmão do suspeito Tayib, de 21 anos, que está preso no Reino Unido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.