Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Polícia acusa líder taleban pela morte de Benazir Bhutto

Baitullah Mehsud lidera grupo ligado aos militantes da Al-Qaeda no Paquistão; seu paradeiro é desconhecido

Associated Press,

01 de março de 2008 | 10h23

A polícia paquistanesa acusou formalmente neste sábado, 1, o líder Taleban no país de planejar o assassinato da ex-primeira-ministra Benazir Bhutto.Baitullah Mehsud é considerado suspeito pelo governo do Paquistão com outras quatro pessoas, indiciadas pelo ataque suicida e pelos tiros disparados durante o comício em Rawalpindi no último dia 27 de dezembro.  Veja também:Filha de dinastia, Benazir era figura polêmica Imagens Cronologia: A trajetória de Benazir  Autoridades não deixaram claro, no entanto, se a captura do líder terrorista está próxima, já que o paradeiro dele é desconhecido. Embora Mehsud tenha sido considerado o principal responsável pelo atentado dias após o incidente, a acusação foi formalizada quase dois meses após o crime. Este é o primeiro passo legal para que ele possa ser preso pela morte de Benazir. Mehsud é o mais alto comandante do Tehrik-e-Taleban, um braço da facção islâmica ligada aos terroristas da Al-Qaeda. Acredita-se que ele esteja escondido na volátil província do Waziristão do Sul, na fronteira com o Afeganistão, e é culpado por uma série de ataques suicidas no Paquistão. A polícia, porém, se recusa em fornecer detalhes da investigação e do papel de cada um dos suspeitos no atentado que matou a ex-premiê. Os outros acusados são Ibadur Rehman, Imramullah, Faiz Muhammad e Abbdullah. Os cinco são suspeitos de envolvimento no plano e no financiamento da ação. A ex-primeira-ministra era odiada pelos grupos militantes por apoiar a luta dos EUA contra o terrorismo. Mehsud havia feito ameaças a Benazir antes mesmo de ela voltar ao Paquistão, em 18 de outubro, após oito anos de exílio

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoBenazir Bhutto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.