Polícia admite demora para conter Breivik

A polícia da Noruega admitiu ontem pela primeira vez que poderia ter respondido com mais rapidez ao massacre na Ilha de Utoya, em 22 de julho, quando o fundamentalista cristão Anders Behring Breivik matou a tiros 69 pessoas. O terrorista confessou ter causado ainda uma explosão que matou oito pessoas em Oslo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.