AFP PHOTO / dpa / Boris Roessler
AFP PHOTO / dpa / Boris Roessler

Polícia alemã dispersa novo protesto contra o G-20 em Hamburgo

Forças de segurança usaram gás lacrimogêneo e canhões de água contra manifestantes que tentavam se aproximar do local onde acontecerá a cúpula com os líderes das 20 principais economias do mundo, na sexta-feira e no sábado

O Estado de S.Paulo

06 Julho 2017 | 15h36

HAMBURGO, ALEMANHA - Milhares de manifestantes contrários à reunião do G-20 entraram em confronto nesta quinta-feira, 6, com a polícia, que fez uso de gás lacrimogêneo e canhões de água para dispersar a multidão em Hamburgo, na Alemanha. Na véspera, as forças policiais da cidade também usaram os mesmos meios para dispersar outro protesto contra a reunião.

A polícia impediu a manifestação, cuja participação foi estimada em 12.000 pessoas - incluindo centenas de militantes extremistas, encapuzados e vestidos de preto -, de se aproximar do local onde acontecerá a cúpula do G-20. As reuniões da cúpula começam na sexta-feira.

Chamada de "Welcome to Hell" ("Bem-vindos ao Inferno"), esta manifestação é a mais importante entre as previstas para acontecer na cidade durante a reunião. O protesto começou no mercado do peixe de Hamburgo, no centro da cidade, às margens do rio Elba.

À frente da marcha, um grande cartaz pedia para "esmagar o G-20" ("smash G-20", em inglês). Ela foi convocada por uma autodenominada "aliança autônoma anticapitalista". O objetivo dos organizadores era rodear o Palácio dos Congressos, onde estão as delegações da reunião. 

Cerca de 20 mil policiais de várias partes da Alemanha foram deslocados para Hamburgo como medida antiterrorismo e para evitar a violência nas cerca de 30 manifestações previstas durante a reunião. / AFP

Mais conteúdo sobre:
G-20 Hamburgo Alemanha Protesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.