Polícia alemã investiga motivos de ataque em escola

Primeiros indícios eram de que atirador, que matou 15 pessoas, teria buscado alvejar mulheres

BBC Brasil, BBC

12 de março de 2009 | 07h21

A polícia alemã está investigando os motivos que teriam levado um jovem de 17 anos a invadir sua antiga escola e iniciar uma matança que resultou na morte de 16 pessoas, entre elas o próprio atirador, que se suicidou. A expectativa é de que as autoridades abordem, em uma entrevista coletiva marcada para esta quinta-feira, 12,, as especulações de que o rapaz, Thomas Kretschmer, teria buscado alvejar principalmente mulheres na escola em Winnenden, perto de Stuttgart.  Veja também:Treinador diz que atirador 'era arrogante, mas não agressivo' TVs exibem vídeo dos últimos momentos do atirador alemãoApós ataques, Europa apressa-se para restringir armas de fogo Cronologia dos principais ataques contra escolasOnze - oito alunas e três professoras - de suas doze vítimas na escola eram do sexo feminino. O caso chocou a Alemanha. A chanceler Angela Merkel chamou o ataque de "incompreensível" e que todo o país estava de luto. As bandeiras nesta quinta-feira foram colocadas a meio-mastro na Alemanha. Centenas de pessoas compareceram a missas na cidade na quarta-feira, em memória das vítimas e flores foram depositadas em frente à escola. Segundo as primeiras investigações da polícia, Kretschmer gostava de jogos de computador violentos. A polícia encontrou 60 cartuchos de bala nas salas de aula da escola. A polícia acredita que ele planejava passar mais tempo e matar mais gente no prédio, mas que a chegada imediata dos agentes fez com que o jovem mudasse de ideia. A policia também investiga se a coleção de armas do pai dele estava guardada em local seguro. Autoridades, no entanto afirmam que, aparentemente, Kretschmer não tinha nenhum ressentimento em relação à escola.  Foto: APO jovem entrou na escola de nível secundário Albertville, ao norte de Stuttgart, vestido em roupas de combate pretas. Oito alunas, um aluno e três professoras morreram quando ele abriu fogo na escola. Outros sete alunos ficaram feridos. Apavorados, alguns alunos tentaram escapar pela janela. Uma aluna disse à BBC que Kretschmer entrou em sua sala de aula e "simplesmente atirou para todos os lados". "Eu me joguei no chão e levei meus amigos comigo, e depois fui para um canto e coloquei uma mesa na minha frente. Ele veio de novo, uma segunda vez, e atirou de novo", disse ela. "Entramos em pânico e choque." Outro aluno, Eileen Toraman, disse que uma amiga dele foi morta enquanto outra quebrou a perna ao pular de uma janela do terceiro andar. "Não entendo por que isso aconteceu. Não faço a menor ideia do que deve acontecer agora." Ao fugir da escola, Kretschmer ainda matou um pedestre. Ele roubou um carro, levando o motorista como refém, antes de parar no vilarejo de Wendlingen, a cerca de 40 km da escola. Ele ainda matou dois homens em uma loja de automóveis. Em seguida, a polícia trocou tiros com o jovem, que foi atingido na perna. Ele conseguiu fugir e se suicidou, segundo afirmam policiais.O ataque de quarta-feira foi o que teve maior número de vítimas na Alemanha desde 2002, quando um ex-aluno de uma escola na cidade de Erfurt, no leste, matou 14 professores, dois alunos e um policial.  BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.