REUTERS/Fabian Bimmer
REUTERS/Fabian Bimmer

Polícia alemã usa jatos d’água e bombas de gás para dispersar protesto contra reunião do G-20

Militantes protestam contra a globalização e o que dizem ser ganância corporativa e fracasso em combater as mudanças climáticas; cúpula terá início na sexta-feira

O Estado de S.Paulo

05 Julho 2017 | 08h01

HAMBURGO, ALEMANHA - A polícia de Hamburgo dispersou na noite de terça-feira 4 com jatos d'água e bombas de gás uma manifestação contra a reunião do G-20, prevista para este fim de semana na cidade do norte da Alemanha.

As forças policiais dispersaram inicialmente manifestantes que montavam barracas no parque do bairro de Altona, segundo a imprensa local.

"Não era uma manifestação legal, e sim um acampamento não autorizado em um parque", destacou um porta-voz da polícia.

Por volta da meia-noite, policiais utilizaram jatos d'água e bombas de gás para dispersar cerca de 500 pessoas em pontos distintos de Hamburgo que tentavam bloquear ruas, especialmente no bairro de Sankt-Pauli.

Uma pessoa foi levada para prestar depoimento e um pedestre não envolvido no protesto ficou levemente ferido, informou a polícia local. No domingo, os agentes já haviam enfrentado manifestantes que protestavam pelo mesmo motivo.

No total, os organizadores dos protestos esperam reunir mais de 100 mil manifestantes contra o G-20 nos próximos dias em Hamburgo, entre eles milhares de militantes de esquerda dispostos a enfrentar a polícia para protestar contra a globalização e o que dizem ser ganância corporativa e fracasso em combater as mudanças climáticas.

As autoridades alemãs acreditam que cerca de 8 mil manifestantes estão se preparando para usar a violência, de acordo com o Ministério do Interior, e aproximadamente 20 mil policiais serão deslocados para proteger a cidade. / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.