Polícia apreende obras de arte com fundador da Parmalat

Autoridades italianas apreenderam obras de arte, entre elas pinturas de Kandinsky e Chagall, que haviam sido escondidas pelo fundador da Parmalat. A agência de notícias "Ansa" informou hoje que a polícia apreendeu as obras durante uma incursão noturna nas casas de Calisto Tanzi e de seus auxiliares, na região de Parma.

AE-AP, Agencia Estado

11 de dezembro de 2009 | 17h41

As autoridades procuravam, há tempos, o chamado "tesouro perdido de Tanzi". O empresário havia negado que tivesse qualquer riqueza escondida, mas as autoridades anunciaram, na semana passada, a apreensão de obras de arte, dente elas pinturas de Van Gogh e Picasso.

A Parmalat entrou em concordada em 2003 por causa de uma dívida de 14 bilhões de euros. Tanzi foi condenado por desonestidade comercial e está em julgamento por concordata fraudulenta.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliaParmalatobras de artepinturas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.