Polícia assegura noite mais calma em Londres

Milhares de policias de plantão mantiveram as ruas de Londres calmas na noite de terça-feira, após três noites de tumultos na capital britânica, mas distúrbios e saques foram registrados em Manchester e Birmingham, onde uma investigação foi aberta sobre a morte de três pessoas. O primeiro-ministro David Cameron afirmou que o país não vai permitir que a "cultura do medo" tome conta das ruas.

AE, Agência Estado

10 de agosto de 2011 | 12h29

"Vamos fazer o que for necessário para restaurar a lei e a ordem em nossas ruas", afirmou Cameron em comunicado transmitido pela televisão. "Nada está fora de cogitação", nem o uso de canhões de água, geralmente usados na Irlanda do Norte, mas nunca na Inglaterra. Cameron convocou o Parlamento, que estava em recesso, para um debate de emergência na quinta-feira sobre os distúrbios.

Uma estranha calma pairava sobre a capital nesta quarta-feira, onde centenas de lojas foram fechadas mais cedo na noite de terça-feira. Em todo o país, a polícia deteve quase 1.200 pessoas, sendo 800 somente em Londres, desde que os tumultos tiveram início na capital no sábado. Veículos blindados e comboios de vans policiais apoiaram cerca de 16 mil oficiais de plantão, quase o triplo do número de homens trabalhou na noite de segunda-feira. A demonstração de força parece ter funcionado: não houve relatos de grandes problemas em Londres na noite de terça-feira, embora tenha havido várias prisões.

A violência provocou a retomada do debate sobre as medidas de austeridade do governo conservador, que vai cortar 80 bilhões de libras (US$ 130 bilhões) em gastos públicos até 2015 para reduzir o crescente déficit público do país. Cortes no orçamento da polícia fazem parte do pacote. Um relatório divulgado no mês passado diz que esses cortes vão significar menos 16 mil policiais até 2015.

O prefeito de Londres, Boris Johnson, que também é conservador, afirmou que esses cortes são incorretos. "Não é hora de pensar em fazer cortes substanciais no número de policiais", disse ele à rádio BBC.

Em Birmingham e a polícia iniciou uma investigação sobre a morte de três homens atingidos por um carro. Moradores disseram que os homens mortos, com idades entre 20 e 31 anos, eram parte da comunidade sul-asiática da cidade e que estavam patrulhando a vizinhança para mantê-la a salvo dos saqueadores.

Chris Sims, chefe de polícia da região de West Midlands, disse que um homem foi detido sob suspeita de assassinato. "As informações que temos até agora indicam que o atropelamento foi deliberado", disse ele, pedindo calma. "Minha preocupação é que um único incidente possa levar a um nível mais alto de agitação e até mesmo de violência entre comunidades diferentes." As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.