Polícia atira contra manifestantes no Afeganistão

A polícia do Afeganistão disparou contra manifestantes que protestavam por causa da morte de civis, supostamente vítimas de um bombardeio norte-americano no oeste afegão. Os manifestantes atiravam pedras do lado de fora dos escritórios do governo na capital da província de Farah. Um manifestante foi ferido por uma bala e outros cinco também sofreram ferimentos depois de tentarem entrar no principal prédio do governo, disse Gul Ahmad Ayubi, funcionário do departamento de saúde da província. O grupo protestava contra as mortes de civis nas vilas de Ganjabad e Gerani, disse Belqis Roshan, membro do conselho provincial.

AE-AP, Agencia Estado

07 de maio de 2009 | 10h55

A Cruz Vermelha Internacional e funcionários locais disseram que as pessoas foram mortas por bombas norte-americanas, embora os militares digam que isso pode não ter ocorrido. Mohammad Nieem Qadderdan, ex-chefe distrital de Bala Buluk, que visitou o local dos confrontos, disse que entre 100 e 120 pessoas foram mortas. Caso 100 civis tenham morrido, esse será o pior caso de mortes civis desde a invasão liderada pelos Estados Unidos em 2001. Segundo a Cruz Vermelha, mulheres e crianças estão entre as dezenas de mortos.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãoviolênciaprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.