Polícia belga prende 14 supostos extremistas da Al-Qaeda

Suspeitos já viajaram para Afeganistão e Paquistão e teriam planejado atentado suicida na Europa ou na Ásia

Associated Press e Efe,

11 de dezembro de 2008 | 11h09

Quatorze supostos extremistas islâmicos foram detidos pela polícia belga durante uma operação realizada na madrugada desta quinta-feira, 11, informaram autoridades locais. As detenções resultaram de operações de busca e apreensão realizadas em 16 diferentes localidades em Bruxelas e uma em Liège, no leste da Bélgica.   A polícia belga suspeita que os detidos tenham vínculos com a rede extremista Al-Qaeda, liderada pelo milionário saudita no exílio Osama bin Laden. Os policiais também apreenderam computadores, equipamentos de armazenamento de dados e uma pistola.   "Informações obtidas recentemente durante as investigações também indicam que uma pessoa possivelmente planejava um ataque suicida", disse a jornalistas o promotor público federal Johan Delmulle. Ele comentou, no entanto, que ainda não se sabia se o plano de ataque teria como alvo a Bélgica ou outro país.   Os suspeitos viajaram ao Afeganistão e ao Paquistão, mas ainda não se sabe ao certo se eles participaram de confrontos na região ou se foram para lá em busca de treinamento em ações extremistas, concluiu a polícia. Três dos detidos voltaram recentemente do Afeganistão, e um deles teria recebido a permissão para cometer um atentado suicida e já se despedira da família.   Essas informações, "unidas ao fato de que a cúpula européia ocorre neste momento em Bruxelas", forçaram as autoridades a lançar a operação, disse o procurador federal belga, Johan Delmulle, em entrevista coletiva. A operação ocorreu após uma investigação qualificada como a "mais importante" contra o terrorismo islâmico na Bélgica nos últimos anos, e já evitou a execução de um atentado em Bruxelas no final de 2007, disse Delmulle.

Tudo o que sabemos sobre:
Bélgicaterrorismoprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.