Stringer/Reuters
Stringer/Reuters

Polícia bielo-russa prende mulher de 73 anos, símbolo de atos

Nina Baginskaya foi levada por um policial mascarado; jornalistas e outros manifestantes também foram detidos

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2020 | 20h49

As forças de segurança da Bielo-Rússia detiveram dezenas de manifestantes neste sábado, 26, durante protesto contra o presidente Alexander Lukashenko que reuniu uma multidão no centro de Minsk. Um vídeo nas redes sociais mostrou um agente prendendo Nina Baginskaya, de 73 anos, que se tornou figura central do movimento após brigar com a polícia no mês passado.

Ela foi levada por um policial mascarado e, inicialmente, não havia informações sobre seu paradeiro. Na filmagem, ela é arrastada para uma van. A mídia local disse que Nina foi libertada mais tarde.

Um grupo de mulheres gritou "Nosso presidente é Sveta" – referindo-se à líder da oposição Sviatlana Tsikhanouskaya, que, segundo eles, teria sido a verdadeira vencedora das eleições. A polícia de choque arrastou muitas delas para vans e prendeu outros manifestantes nas proximidades.

Seis jornalistas também foram detidos, mas imediatamente libertados, de acordo com a Associação de Jornalistas da Bielo-Rússia.

Tsikhanouskaya divulgou um comunicado nas redes sociais condenando as ações das forças de segurança. “Todos nós merecemos que nossa dignidade e direitos civis sejam respeitados”, disse ela. 

Lukashenko foi empossado para um sexto mandato na última quarta-feira, 24, em uma cerimônia realizada sem aviso prévio, que levou milhares de pessoas a tomarem as ruas da capital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.