Stefan Rousseau/PA via AP
Stefan Rousseau/PA via AP

Polícia britânica descarta vínculo de terrorista de Westminster com o EI

'Ele claramente tinha um interesse na jihad, mas não há provas que sustentem que ele tenha discutido o plano com terceiros', diz porta-voz

O Estado de S.Paulo

27 de março de 2017 | 18h14

LONDRES - Autoridades britânicas disseram nesta segunda-feira, 27, não haver evidências de que o suspeito do ataque ao Parlamento britânico na semana passada ter vínculos com o grupo terrorista Estado Islâmico, que reivindicou a autoria do atentado. 

"Ele claramente tinha um interesse na jihad, mas não há provas que sustentem que ele tenha discutido o plano com terceiros", disse o vice-comissário da Polícia Metropolitana Neil Basu. 

Quatro pessoas morreram no ataque ao Palácio de Westminster após Khalid Masood jogar um carro contra pedestres e atacar um policial com uma faca antes de tentar invadir o Parlamento. O suspeito foi morto pela polícia.            

"Os métodos dele pareciam ser pouco sofisticados, mas copiavam a retórica do Estados Islâmicos", disse o porta-voz da polícia. 

 

Nove pessoas foram liberadas pela polícia após terem sido detidas por suspeita de estar vinculadas ao ataque. Duas permanecem sob custódia. /NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.