Polícia britânica detém 16 pessoas em operações antiterroristas

Dezesseis pessoas foram detidas neste sábado pela Polícia britânica em operações antiterroristas efetuadas em Londres e em Manchester, no norte da Inglaterra.Quatorze delas foram presas na capital britânica pela brigada antiterrorista da Scotland Yard, sob a suspeita de cometerem, prepararem ou instigarem atos terroristas e com base na lei antiterrorista de 2000, informou a Polícia Metropolitana.Em outra operação, a polícia da chamada Grande Manchester deteve outros dois indivíduos em operações levadas a cabo em casas da cidade.Os detidos em Londres são suspeitos de "recrutar e incitar outros a participarem de atividades terroristas", segundo a rede britânica BBC.As forças da ordem, que não divulgaram nem a identidade nem a nacionalidade dos detidos, destacaram que a operação não está relacionada ao plano para a derrubada de aviões em pleno vôo entre o Reino Unido e os Estados Unidos desarticulado pela Polícia britânica em 10 agosto.Também não está vinculada aos atentados cometidos em 7 de julho de 2005 contra a rede de transporte de Londres, os quais deixaram 56 mortos - inclusive os quatro terroristas suicidas - e cerca de 700 feridos, acrescentaram.Um porta-voz da Scotland Yard se limitou a dizer que "as detenções no sul e no leste de Londres ocorreram após muitos meses de vigilância e investigação".Doze das detenções foram efetuadas em um restaurante chinês situado na região de Borough Road - sul de Londres - e freqüentado por muçulmanos, segundo a BBC.Cerca de 40 agentes com uniformes antidistúrbio entraram no estabelecimento e obrigaram os vários clientes que estavam no local a se identificarem.O proprietário do restaurante, Madi Blyani, contou à BBC que os agentes interrogaram alguns dos fregueses "durante mais de uma ou duas horas" e depois detiveram alguns deles.Os 14 supostos terroristas detidos em Londres estão agora em uma delegacia do centro da capital, onde serão interrogados.Um porta-voz do Ministério do Interior disse que o titular da pasta, John Reid, foi "completamente informado do desenvolvimento da operação antiterrorista".A Scotland Yard também iniciou uma operação em uma escola islâmica do condado de East Sussex (sul da Inglaterra), informou a emissora BBC.A instituição em questão, chamada Jameah Islameah, fica situada em uma ampla área rural em uma estrada entre as localidades de Rotherfield e Mark Cross.Segundo seu site, trata-se de um centro islâmico de ensino cujo principal objetivo é "garantir que os estudantes alcancem um maior nível de consciência espiritual, moral e islâmica". Algumas testemunhas asseguraram que cerca de cem agentes participavam da operação.ManchesterJá em Manchester, dois homens foram detidos em operações antiterroristas levadas a cabo em três casas, informou um porta-voz da polícia local.Segundo a fonte, a operação não teve relação com a executada em Londres.As detenções, efetuadas às 2h (horário de Brasília), estão ligadas a "uma investigação em curso" iniciada a partir de informações divulgadas pelos serviços secretos, acrescentou o porta-voz, que afirmou que os agentes prosseguiam com as revistas.Ainda de acordo com a mesma fonte, as operações têm relação com outras efetuadas em 23 de agosto, quando outro suspeito, que continua sob custódia policial, foi detido.A mobilização da polícia coincide com uma revelação feita pelo chefe da brigada antiterrorista da Scotland Yard, o subcomissário Peter Clarke. Ele disse que a polícia britânica tenta manter "milhares" de pessoas vigiadas, já que elas podem estar envolvidas direta ou indiretamente em atividades terroristas.Em uma entrevista à BBC, que será veiculada no domingo, mas cujo conteúdo já foi divulgado pela imprensa, Clarke advertiu que o Reino Unido enfrenta uma "crescente" ameaça terrorista representada por pessoas do próprio país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.