Polícia britânica divulga imagens de prostituta morta

A Polícia britânica divulgou neste sábado, com o objetivo de conhecer seus últimos passos, imagens de um vídeo de Anneli Alderton, que estava grávida de três meses, uma das cinco prostitutas que foram encontradas mortas em Ipswich (leste da Inglaterra) nas últimas duas semanas.Em entrevista, o detetive da Polícia do condado de Suffolk,Stewart Gull, fez um apelo aos cidadãos para que relatem qualquerinformação sobre os últimos passos da jovem, de 24 anos, que no dia 3 de dezembro tomou um trem no condado de Essex.Nas imagens divulgadas neste sábado, que foram captadas por uma câmara de segurança, Alderton aparece em um vagão vazio de um trem que fazia o percurso entre Harwich e Colchester. A prostituta estava vestida com uma jaqueta preta, calças jeans, sapatos brancos e estava com o cabelo preso. "Queremos saber em que estação ela desceu e para onde foidepois", disse Gull.Horas antes, a subcomissária Jacqui Cheer confirmou que a jovem,cujo corpo foi descoberto no domingo em uma área florestal deNacton, estava grávida de três meses. Cheer ressaltou que, apesar disto ser uma circunstância "triste", não é "relevante para a investigação".Em seu pronunciamento à imprensa, Gull disse que atualmente estãosendo investigadas entre 50 e 100 pessoas, mas que ninguém foiinterrogado como suspeito ainda.Apesar de a Polícia não querer usar o termo "assassino em série",o detetive admitiu que os assassinatos têm as mesmas características e "é possível que tenham sido cometidos pelo mesmo indivíduo", embora possam existir "outros envolvidos".Desde o início das investigações, nenhum veículo foi apreendido.No entanto, o motorista de um BMW que supostamente teria convidado Alderton para fazer um programa foi entrevistado.Apesar da ausência de suspeitos e dos poucos indícios materiais,Gull afirmou que os investigadores "estão fazendo progressos".Antes, a subcomissária Cheer havia comparado a investigação a umquebra-cabeça que já tem "as margens completas, mas ainda ficadifícil preencher o centro".Cerca de 350 agentes de 31 organizações policiais do Reino Unidoparticipam da investigação, uma das maiores realizadas no país.Também estão sendo investigadas independentemente, mas de formacoordenada, as mortes de Gemma Adams, de 25 anos, cujo cadáver foi encontrado em 2 de dezembro em um córrego em Hintlesham; Tania Nicol, de 19, descoberta no dia 8 na mesma corrente em Copdock; e Paula Clennell, de 24 anos, e Annette Nicholls, de 29, encontradas no dia 12 em uma floresta de Levington.A Polícia analisa até 10 mil horas de gravações de câmaras desegurança para tentar reconstruir os últimos movimentos das mulheres mortas.Além disso, os investigadores fizeram um apelo aos cidadãos paraque informem caso encontrem peças de roupa que possam ter pertencido às vítimas.Os agentes já receberam até agora cerca de 9 mil ligações. Hoje,os policiais farão outro apelo à colaboração antes do início do jogo de futebol entre o time local de Ipswich Town e o Leeds United. Também será feito um minuto de silêncio em respeito às vítimas.Todas as mulheres encontradas mortas estavam nuas, mas nãomostravam sinais de violência ou agressão sexual. Três delas -Nicol, Adams e Nicholls - foram achadas com suas jóias no corpo,informou a Polícia.Os investigadores forenses disseram que Clenell foi morta por"pressão no pescoço" e Alderton foi estrangulada, mas ainda nãodeterminaram as causas das mortes de Nicol, Adams e Nichollscontinuam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.