AFP PHOTO / Ben STANSALL
AFP PHOTO / Ben STANSALL

Polícia britânica identifica jovem de 22 anos como autor de atentado em Manchester

Suspeito de ataque que deixou mais de 20 mortos é Salman Abedi; prioridade da investigação é determinar se ele agiu sozinho ou com auxílio de uma célula terrorista

O Estado de S.Paulo

23 Maio 2017 | 13h44
Atualizado 23 Maio 2017 | 15h04

MANCHESTER, REINO UNIDO - Salman Abedi, um jovem de 22 anos, é o responsável pelo atentado realizado em Manchester, que matou 22 pessoas e feriu 59. A confirmação foi feita nesta terça-feira, 23, pela polícia da cidade, em meio às investigações sobre o ataque. O Estado Islâmico (EI) reivindicou a autoria do ataque, mas ainda não há provas de vínculos entre o suspeito e o grupo jihadista.

Segundo o chefe da polícia de Manchester, Ian Hopkins, a prioridade agora é determinar se ele agiu sozinho ou com o auxílio de uma célula terrorista. Mais cedo, as autoridades prenderam um suspeito por suposta ligação com o caso. O atentado ocorreu ao fim do show da cantora pop americana Ariana Grande.

"A respeito da investigação em curso sobre o horrível ataque na Manchester Arena, podemos confirmar a detenção de um homem de 23 anos na zona sul de Manchester", informou a polícia em um comunicado.

Ainda pela manhã, o EI assumiu  a autoria da ação e afirmou que um "soldado do califado" colocou "muitos pacotes-bomba" em vários locais da cidade britânica.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse que o autor do "cruel" atentado queria provocar uma "carnificina". "Sabemos que apenas um terrorista explodiu um artefato de fabricação caseira perto de uma das saídas do local, escolhendo deliberadamente o momento e o local para provocar uma carnificina máxima.”

O autor do atentado nasceu em Manchester e é filho de um casal de refugiados líbios que fugiram da ditadura de Muamar Kadafi, segundo disseram fontes de segurança de Trípoli à agência EFE. Ele nasceu em 1994 e é o segundo filho de um casal líbio de refugiados, Samia Tabal e Ramadan Abedi.      

Antes de se mudar para o sul de Manchester, onde residem há mais de uma década, Ramadan Abedi, que trabalhava no setor da segurança, viveu em Londres durante algum tempo, disseram as fontes líbias sem divulgar outros detalhes. 

Segundo o jornal britânico The Telegraph, Salman cresceu na Whalley Range, o mesmo local em que as gêmeas Zahra e Salma Halane, que eram estudantes universitárias, fugiram em 2015 para se unir ao grupo terrorista Estado Islâmico.  / EFE, Ansa, AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.