Polícia britânica investiga partido de Blair por escândalo

A polícia britânica disse nesta terça-feira que esteve investigando o Partido Trabalhista - do premier Tony Blair - sobre possíveis abusos como nomeações para cadeiras na Casa dos Lordes e outras honras. O partido reconhece que recebeu, secretamente, grandes empréstimos de 12 patrocinadores. Tempos depois, quatro deles foram nomeados pelo próprio premier para ocupar cadeiras na Casa dos Lordes. Blair, porém, nega a má conduta e diz que não nomeia ninguém em troca de empréstimos. Um dos patrocinadores, o Dr. Chai Patel, disse nesta terça-feira que ofereceu uma doação de U$ 1,8 milhão, mas foi aconselhado pelo responsável pelos empréstimos a fazer um empréstimo no lugar da doação. O Comitê Executivo Nacional de Doações disse que quer "retomar sua justa responsabilidade por qualquer descuido no capital e no financiamento do partido". Blair afirmou que sabia dos empréstimos, mas o tesoureiro do partido, Jack Dromey, o vice-premier, John Prescott, e outros membros do alto escalão do partido disseram que não foram informados. O político conservador David Cameron pediu que novas regras sejam implantadas nas finanças partidárias da Inglaterra. Segundo ele, todos os empréstimos, exceto os de instituições comerciais, devem ser banidos, e doações de indivíduos, companhias e instituições devem ser limitadas a 88 mil dólares. Ele também falou que oficiais devem considerar a redução do número de legisladores na Casa dos Comuns e a limitação da verba eleitoral de cada partido para U$ 26 milhões, 25% a menos que o limite atual.

Agencia Estado,

21 Março 2006 | 20h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.