Polícia britânica pedirá mais tempo para interrogar suspeitos

A Scotland Yard pedirá nesta quarta-feira permissãojudicial para prorrogar o interrogatório de alguns dos onzesuspeitos detidos devido a um complô para derrubar aviões em vôo doReino Unido aos Estados Unidos, informou a rede pública britânicaBBC. Segundo a BBC, que cita fontes policiais, a Polícia pediráainda nesta quarta-feira a autorização para prolongar a detenção de "algunssuspeitos", o que significa que parte dos onze supostos terroristaspoderiam ficar em liberdade. A última palavra é de um juiz do Tribunal Superior de Londres,que deverá decidir se concede a prorrogação às forças da ordem, já que o prazo para reter esses suspeitos termina nesta quarta-feira à noite. Se o juiz negar a permissão, a Polícia teria que formularacusações contra os detidos ou deixá-los em liberdade. Os onze suspeitos - muçulmanos britânicos e a maioria de origempaquistanesa - foram detidos em 10 de agosto, quando a Políciadesarticulou um plano para explodir aviões, com substâncias líquidasescondidas na bagagem de mão. Segundo a legislação antiterrorista britânica, as forças da ordemtêm um prazo máximo de 28 dias, a partir do momento da detenção,para interrogar os suspeitos. No entanto, a Polícia não pode esgotar todas essas quatro semanassem requerer uma permissão judicial a cada certo tempo. Ao final desse período, a Polícia deve apresentar uma acusaçãoformal ou colocar os detidos em liberdade. Outros onze suspeitos compareceram na terça-feira ao tribunal deWestminster, no centro de Londres, acusados de crimes de terrorismoem relação à suposta conspiração. Um juiz britânico decretou prisão preventiva para essas onzepessoas, durante uma audiência na qual os acusados apenasconfirmaram seus nomes e endereços. Oito dos suspeitos - de 19 a 28 anos e residentes em Walthamstowe Leyton, no leste de Londres, assim como em High Wycombe(Buckinghamshire, perto da capital) - são acusados de conspirar paraassassinar e cometer atos de terrorismo. O juiz de turno, Timothy Workman, decidiu a prisão preventivapara esses oito suspeitos até 4 de setembro, quando deverãotestemunhar novamente no tribunal penal de Old Bailey, em Londres. Também é acusado um jovem de 17 anos que teria material que podeser usado para executar atos terroristas, para quem o magistradoordenou prisão preventiva até que volte a depor na Justiça, em 29 deAgosto. Os outros dois suspeitos que testemunharam são um homem e umamulher de 23 anos, acusados de esconder informações úteis paraimpedir atentados, que continuarão detidos até 19 de setembro,quando se apresentarão novamente a um juiz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.