Polícia britânica perde rastro de 322 criminosos sexuais

A polícia britânica perdeu o rastro de 322 criminosos sexuais condenados, entre eles estupradores e pedófilos, cujos nomes estão em um registro oficial, em um novo escândalo que atinge o ministro do Interior, John Reid.O jornal News of the World publicou esse dado após perguntar às cinqüenta forças policiais que operam na Inglaterra e em Gales quantos criminosos sexuais estavam em paradeiro desconhecido.O News of the World se respaldou, para a investigação, na Lei de Liberdade de Informação, que permite a todos ter acesso à informação administrada por mais de 100 mil autoridades públicas, como ministérios, escolas, hospitais, polícia, parte do Exército e Parlamentos regionais.Os criminosos devem informar regularmente de seu paradeiro à polícia ou a funcionários que vigiam presos em liberdade condicional.O Ministério do Interior não negou a notícia e se limitou a afirmar que o registro de criminosos sexuais é uma "ferramenta operacional" efetiva que conta com um nível de cumprimento de 97% por parte das pessoas inscritas.A polícia metropolitana de Londres confirmou que na capital se perdeu o rastro de 88 destes infratores.A diretora da organização beneficente de proteção da infância Kidscape, Michelle Elliott, se declarou "comovida e aborrecida" pelas polêmicas revelações. "Essas pessoas estão aí fora nas comunidades e cometerão mais crimes, e abusarão de mais crianças e adultos", acrescentou Michelle.O porta-voz do Interior do Partido Conservador (na oposição), David Davis, considerou que houve uma "grave falha das bases de dados da Justiça criminal do Governo".O escândalo foi divulgado ao término de uma semana difícil para o ministro do Interior, John Reid, devido à crise da superpopulação das prisões britânicas.Reid recebeu muitas críticas por ter pedido em uma circular aos juízes do país que ditem penas de prisão apenas contra os delinqüentes mais perigosos e os reincidentes devido à aglomeração nas prisões.A situação se complicou depois que dois juízes libertaram dois pedófilos por seguir a recomendação do ministro.Além disso, no sábado a cadeia pública BBC informou de um novo erro de Interior por não aplicar a proibição de viajar para fora do país a quase 150 traficantes de droga condenados no Reino Unido.Apesar de tudo, o primeiro-ministro do Reino Unido, o trabalhista Tony Blair, expressou seu apoio a Reid, um homem de sua confiança e com fama de "mão de ferro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.