Polícia britânica prende mulher por escândalo de grampos

A polícia de Londres, que investiga um escândalo de grampos telefônicos supostamente cometidos pelo braço britânico de jornais do império midiático de Rupert Murdoch, disse ter detido uma mulher nesta quarta-feira como parte da investigação.

REUTERS

30 de novembro de 2011 | 13h17

A polícia disse que a suspeita, de 31 anos e cuja identidade não foi revelada, foi detida sob suspeita de conspiração para interceptar mensagens de voz deixadas em telefones celulares. Ela foi interrogada em uma delegacia de polícia no noroeste da Inglaterra.

Segundo fontes da indústria jornalística, a mulher seria Bethany Usher, uma palestrante para assuntos de mídia e estudos em jornalismo da Universidade de Teessside.

Bethany trabalhou como jornalista do News of the World, o tabloide dominical britânico da News Corp., de Murdoch. Ela trabalhou para o jornal, que foi fechado após o escândalo de grampos, entre janeiro de 2006 e outubro de 2007.

A Universidade de Teesside se recusou a comentar sobre as alegações. "Seria inapropriado comentar sobre qualquer investigação policial que está em andamento", disse um porta-voz.

Detetives abriram uma investigação em janeiro para descobrir se jornalistas e investigadores particulares, em busca de fofocas para reportagens, haviam interceptado ilegalmente as mensagens de voz nos telefones celulares de diversas pessoas, desde celebridades e políticos até vítimas de assassinatos e famílias de soldados mortos.

Eles também estão investigando se jornalistas pagaram policiais para obter as informações.

(Reportagem de Michael Holden)

Tudo o que sabemos sobre:
MIDIANEWSCORPPRENDE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.