RETUERS/Neil Hall
RETUERS/Neil Hall

Polícia britânica prende seis pessoas em operações antiterror

Uma mulher foi atingida por disparos dos agentes durante a ação e levada em estado grave para o hospital

O Estado de S.Paulo

28 Abril 2017 | 07h31

LONDRES - Uma mulher ficou ferida e seis pessoas foram presas em uma operação antiterrorista em Londres e Kent, no sudeste da Inglaterra, de acordo com informações divulgadas nesta sexta-feira, 28, pela polícia britânica.

A operação não está relacionada com a prisão de um homem nas proximidades do Parlamento na véspera, no bairro de Westminster. Ele foi detido com base em acusações de atividades terroristas após os agentes terem encontrado várias facas em sua mochila.

A rede de televisão estatal BBC mostrou imagens do local onde as operações foram feitas durante a madrugada. O jornal britânico The Guardian informou que vizinhos relataram ter ouvido tiros e viram oficiais fortemente armados.

Durante a ação dos policiais, a mulher, de aproximadamente 20 anos, foi atingida por disparos realizados por agentes armados quando eles entraram em uma residência em Harlesden Road, no bairro de Willesden, em Londres, como parte de uma investigação sobre supostas atividades terroristas.

A vítima, cuja identidade e nacionalidade ainda não foram divulgadas, foi levada para um hospital em estado grave, mas estável, de acordo com as forças de segurança. "Em razão de seu estado de saúde, a mulher não foi presa, mas permanece sob custódia policial no hospital", disse uma porta-voz da polícia.

Além disso, dois rapazes, 16 e 20 anos, e uma mulher de 20 foram presos em Willesden, enquanto outra mulher, de 43, foi detida no condado de Kent. Segundo as forças de segurança, um homem e uma mulher, ambos de 28 anos, também foram detidos em Willesden.

A Scotland Yard disse que todos foram presos por suspeita de preparação e instigação de atos terroristas. / EFE, com Célia Froufe, correspondente em Londres

Mais conteúdo sobre:
Reino UnidoTerrorismoprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.