Polícia britânica quer prazo maior para interrogar 24 suspeitos

A polícia britânica deverá pedir nesta quarta-feira a prorrogação do prazo para interrogar as 24 pessoas detidas no Reino Unido suspeitas de ligação com um suposto complô terrorista paraexplodir aviões em vôo rumo aos Estados Unidos. Os advogados da Scotland Yard vão a um tribunal do bairro londrino de Westminster com provas que, segundo eles, justificam a prorrogação, que pode se estender por até 28 dias contados a partir do momento da detenção, de acordo com a nova legislação. Ao fim das quatro semanas, as autoridades devem acusar ou soltar os suspeitos. Atualmente, há 24 pessoas sob custódia nas delegacias londrinas.A polícia deteve 23 delas na quinta-feira passada, quando revelou que tinha desarticulado a trama terrorista. O último suspeito foi detido na Terça-feira. Um suspeito foi solto sem acusações na Sexta-feira. A polícia procura provas para apresentar acusações de suposta preparação, instigação ou execução de atos terroristas. O governo britânico vai solicitar ainda a extradição de um suspeito detido no Paquistão. Aparentemente, ele desempenhou umPapel importante na suposta conspiração, segundo o jornal The Times. Diplomatas britânicos começaram as negociações em Islamabad para conseguir a repatriação de Rashid Rauf, de 25 anos, nascido em Birmingham, no centro da Inglaterra. Ele é irmão do suspeito Tayib,de 21 anos, detido no Reino Unido. Todos os suspeitos interrogados no Reino Unido são de nacionalidade britânica. A maioria é de origem paquistanesa. O jornal The Times inclui uma mulher na lista: Cosser Ali, de 24 anos. Todos foram capturados em Londres, na região metropolitana, em Birmingham e no condado de Buckinghamshire, nos arredores da capital. Até agora, a Scotland Yard fez 46 buscas em casas particulares e imóveis comerciais de Londres, Thames Valey (perto da capital) e naregião de West Midlands (centro do país). Também foram inspecionados 20 carros e uma floresta em High Wycombe (Buckinghamshire).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.