Polícia búlgara acaba com quadrilha que traficava bebês

A polícia da Bulgária prendeu cinco pessoas suspeitas de convencer mulheres búlgaras pobres dar à luz em lugares próximos da Grécia e então vender seus bebês para famílias adotivas, disseram as autoridades nesta quinta-feira. Pelo menos 13 casos desse tipo foram descobertos desde 2004, explica um relatório da polícia.Os cinco suspeitos, que não foram identificados, foram presos na última quarta-feira, nas cidades de Sliven e Burgas. O chefe da unidade da polícia que combate o tráfico humano, coronel Dobromir Dochev, disse que os suspeitos faziam empréstimos para famílias pobres e depois as pressionavam a "pagar" o débito vendendo seus filhos. A gangue vende os recém-nascidos a casais gregos por US$ 18 mil, disse Dochev.As mulheres são levadas para a Grécia em seus últimos meses de gravidez para darem à luz em hospitais gregos. Às vezes a vítima é forçada a ter um parto adiantado, enquanto o grupo financia as despesas das mulheres em favelas gregas, disse a polícia.Então as vítimas vão ao júri grego e declaram que preferem que casais gregos se tornem os guardiães da criança.Em 2004, a polícia italiana prendeu uma quadrilha de vendedores de bebês similar, e também coordenada por búlgaros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.